Guarda municipal que matou adolescente e sócia da ex-namorada em Londrina é preso em Maracaí

 

O guarda municipal Ricardo Leandro Felippe, acusado de ter matado o filho de uma ex-namorada e a sócia de outra ex-companheira amorosa – respectivamente um adolescente de 16 anos e uma mulher de 34, identificada como Ana Regina do Nascimento Ferreira – entre o final da tarde e início da noite desta segunda-feira (3) nas regiões sul e oeste de Londrina, foi preso durante a manhã desta terça-feira (4) em Maracaí, no interior de São Paulo, a 130 km de Londrina. O rapaz teria fugido após cometer os dois assassinatos e ter atirado contra o pai, a mãe e o avô da ex-namorada. A tentativa de homicídio ocorreu na rua Figueira, no Jardim Leonor, em Londrina.

Segundo a Polícia Militar, Ana Ferreira foi morta quando estava na própria empresa, localizada na rua Santiago, no Parque Guanabara. O Instituto de Criminalística informou que a vítima foi atingida por três disparos de pistola, sendo um no rosto, um na mão e outro no peito. O guarda municipal roubou o carro dela, um Ônix de cor branca, e fugiu sentido Avenida Higienópolis. Ele deixou o veículo perto do Jardim Shangri-lá e logo depois roubou um Honda Fit, onde seguiu até o Jardim Leonor.

O servidor municipal foi detido em um Peugeot de cor branca, placas FJE-3085, com uma arma de fogo.

Segundo o delegado-chefe da 10ª Subdivisão Policial (SDP) de Londrina, Osmir Ferreira Neves, Felippe foi encontrado em um hotel. Uma equipe policial de Maracaí desconfiou do Peugeot branco, soube que o motorista estava hospedado em um hotel da cidade e decidiu fazer a abordagem. Ele foi detido perto das 9h30 desta terça-feira (4). O guarda deve ser apresentada durante a manhã desta quarta-feira (5), na 10ª SDP.

A Polícia Civil também divulgou imagens do circuito interno de segurança da empresa de Ana Regina. O vídeo mostra o guarda municipal arrombando a porta, tirando a arma do coldre e atirando contra a sócia da ex-namorada. Ainda de acordo com o vídeo, ele pega a chave do carro e foge em seguida.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Social, Evaristo Kuceki, o guarda municipal retornou ao trabalho nesta segunda-feira após uma licença médica, mas deixou o serviço minutos após bater o cartão. Conforme Kuceki, o primeiro homicídio teria ocorrido logo após o servidor ter abandonado a função. A arma apreendida teria sido usada para cometer os crimes. Fonte: Bonde

Comments

comments