Idosos usam cada vez mais internet no Brasil. Como ajudar seu vovô e sua vovó a não caírem em golpes digitais?

 

Seu vovô e sua vovó estão cada vez mais conectados? Provavelmente, sim. Entre 2012 e 2016, a porcentagem de brasileiros com mais de 60 anos que usa internet cresceu de 8% para 19%, segundo pesquisa do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br).

Para evitar golpes digitais contra esses novos usuários, o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) lançou no mês passado o guia “Internet com Responsa +60”.

A cartilha foi desenvolvida para instruir pessoas com mais de 60 anos a se conectar e navegar com segurança. O G1 acompanhou o lançamento para saber: como os vovôs e vovós usam a internet? Assista a alguns exemplos no vídeo acima.

Há mais uma palestra programada para 29 de novembro na Universidade Aberta à Terceira Idade, na USPAcesse o guia completo no site do NIC.br. O órgão também implementa as decisões e os projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

Golpes contra idosos

De acordo com Kelli Angelini, gerente da assessoria jurídica do NIC.br, pessoas com mais de 60 anos, que nasceram antes da internet, estão mais vulneráveis a golpes no ambiente virtual.

“Há casos de e-mails falsos que pedem dados bancários. Ou de estranhos que viram amigos do idoso na rede social e, depois de alguma conversa, pedem dinheiro. O idoso acaba ajudando e só depois vê que caiu num golpe”, afirma.

Mas não se trata apenas de ameaças. O objetivo do guia é esclarecer assuntos como privacidade nas redes sociais, a importância de senhas fortes, discriminação, liberdade de expressão, entre outros assuntos.

Idosos usam Facebook, WhatsApp… e Tinder?

Tá certo que é comum receber dos internautas mais velhos algumas dezenas de imagens de “bom dia” ou vídeos com piadinhas. Mas o interesse da terceira idade pela internet vai além de apenas falar com a família e amigos.

“Existe uma questão de estar conectado com o mundo de hoje. Há quase uma obrigação de saber usar a internet para conversar com os familiares, mas também para entender o que é estar no mundo. É uma ponte mesmo para estar presente, ter assunto”, diz Tatiana Fraga, diretora do Espaço de Convivência do Idoso, no Parque da Água Branca, em São Paulo.

“Eles querem saber como ligar, criar um documento, entrar no Facebook. Teve até gente que pediu para aprender a usar aplicativos de encontro”, afirma Fraga.

“Você tira uma foto no celular, mas quer entender como ela passa pro computador e depois aparece no Facebook. Ou como edita essa foto. São coisas que pra quem já nasceu nesse mundo são simples. Mas pra uma pessoa que tem 60 anos é como reaprender o que é um álbum de fotografias”.

Dicas de ouro para navegar na internet com segurança:

  • Pense antes de postar: não compartilhe tudo o que vê pela frente. Certos conteúdos podem insultar e gerar indenizações ou até caracterizarem um crime.
  • Preserve sua privacidade: não poste todas as suas fotos. Evite postagens que efetivamente indiquem onde você mora ou quais lugares costuma frequentar.
  • Desconfie do que receber: não caia em qualquer informação nas redes sociais. Não passe informações pessoais só porque um e-mail ou mensagem no WhatsApp está pedindo.
  • Não aceite estranhos: você entregaria a chave da sua casa para qualquer um? Estranhos podem espiar o que você faz e entrar na sua vida sem pedir licença. Fonte G1

Comments

comments