Retirado projeto que homenageava sogra do prefeito no ESF da Vila Progresso, mas o prédio não terá o nome do doutor Zanini

 

O novo prédio do Estratégia Saúde da Família, localizado na avenida São Cristovão, na vila Progresso, não receberá mais o nome Judit da Silva Barreto, em homenagem aos serviços prestados pela mãe da primeira dama Luciana Barreto Fernandes. Dona Judit, esposa do empresário Pedro Barreto, foi presidente da Casa da Amizade e faleceu no dia 8 de agosto de 2010.

O autor do projeto protocolado no dia 6 de julho, vereador Vinícius Símili, do PDT, decidiu retirar a propositura.

No entanto, o prédio também não receberá o nome do médico Luiz Augusto Zanini, como havia garantido a representante da Secretaria Municipal da Saúde no Conselho Municipal de Saúde, Benê Quintiliano, na última reunião dos conselheiros, no dia 8 de agosto. Luiz Augusto Zanini foi médico neurologista, tendo atuado no Hospital Regional, Santa Casa de Assis e outras unidades de saúde, além de ser um grande incentivador do esporte, em especial do futebol, dando assistência às equipes da cidade.

Apesar da informação da representante da Secretaria Municipal de Saúde de que o prédio receberia o nome de Zanini, a Câmara Municipal decidiu homenagear um outro profissional médico.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Valmir Dionízio, apresentou um projeto de lei de sua autoria denominando o Estratégia Saúde da Família da Vila Progresso de “Dr. Emanuel Gustavo Bertoli”, que foi médico da Prefeitura Municipal de Assis e atuou na Secretaria Municipal de Tarumã. “Gustavão”, como era conhecido pelos amigos, morreu no dia 28 de novembro de 1999, aos 42 anos de idade.

O projeto, lido na sessão do dia 14 de agosto, foi remetido às comissões permanentes para emissão dos pareceres antes de ser votado em plenário.

Independente das razões de cada um dos idealizadores das homenagens, a falta de diálogo, com certeza, deve ter provocado, no mínimo, um grande mal estar entre os familiares dos personagens envolvidos.

Assim que for aprovado pela Câmara, o projeto será promulgado. Depois disso, segundo a legislação municipal, a placa denominando o prédio deverá ser fixada no prazo de 60 dias.

Ainda bem que a Secretaria Municipal da Saúde não esperou todo esse trâmite burocrático para colocar o prédio em funcionamento. Fonte: Jornal da Segunda

1050 projeto retirado cópia

O projeto inicial foi retirado a pedido do autor

Comments

comments