SENTIMENTO DE CULPA

 

Quando há um dependente de substâncias na família, é normal que num primeiro momento os pais se sintam culpados. Eles ainda desconhecem que não CAUSARAM, não CONTROLAM e não CURAM a DEPENDÊNCIA QUÍMICA.

A Família quando procura um tratamento, um apoio, acaba descobrindo que eles não são culpados, porque se trata de uma doença. A pessoa já nasce com uma predisposição no organismo para o uso da droga seja qual for. Em contato, primeiramente com o cigarro e a bebida alcoólica que são drogas lícitas, o organismo vai se tornando dependente gradativamente e daí para outras drogas, quase sempre é apenas questão de tempo.  A dependência é uma doença bio-psíquica-social e espiritual; é crônica, progressiva, milionária e pode trazer a morte, quando não tratada.

É bio: é do organismo. O organismo da pessoa já nasce com a predisposição para a química, portanto é uma doença primária que está na origem de outros males. É psíquica: o psiquismo do dependente tem uma grande obsessão e compulsão pela química, pensa nela e o quanto usa é sempre insuficiente para satisfazer seu desejo de prazer. É social: a sociedade estimula o uso das drogas lícitas (cigarro, bebidas) em todas as comemorações e celebrações.  É espiritual: os valores espirituais da pessoa são alterados e aos poucos desprezados. É crônica: não tem cura, mas pode ser controlada. É progressiva: a pessoa vai cada vez mais dependendo do uso (compulsão). É milionária: existe uma grande “máfia”, indústria do lucro e do prazer sob o controle de uma minoria exploradora. É mortal: quer pela overdose, quer pelos acidentes, quer pelas conseqüências mórbidas que traz.

Libertando-se da culpa, os pais estão mais bem preparados, para a busca do tratamento. E o tratamento depende unicamente da pessoa que abusa das drogas, ela precisa querer. A doença não tem cura, mas pode ser controlada assim como outras doenças. Se fosse outra doença grave, como um câncer, os pais buscariam todos os tratamentos possíveis.

O Amor-exigente sugere muita atenção aos jovens! Antes de tomar o primeiro copo, de fumar o primeiro cigarro, de inalar o primeiro trago de maconha, antes de cheirar a primeira carreira de cocaína e antes de fumar a primeira pedra de crack, procurem conhecer os efeitos dessas drogas! Pois, se usarem, para experimentar, para pertencerem a um grupo de pseudo amigos, sem pleno conhecimento da dependência que isso poderá lhe acarretar, sua vida estará comprometida.

Aos pais: retransmitam isso aos seus filhos!

Reunião todas as quintas-feiras, às 20h – RUA BARÃO DO RIO BRANCO Nº 250, CENTRO – ASSIS/SP.

Valmir Dionizio – Voluntário do Amor-Exigente

Comments

comments